Fundador

Padre Cristóforo

O Padre Cristóforo Gabriel Myskiw nasceu no dia 19 de maio de 1905 na aldeia Slobodnica, região de Slavonski Brod, Croácia.  Seus pais, Gabriel e Catarina, nascida Nazaruk, eram naturais da Galícia, Ucrânia. Em 1895, migraram para a Croácia em busca de melhores condições de trabalho na agricultura, tendo em vista que tanto a Galícia quanto a Iugoslávia, atual Croácia, pertenciam ao Império Austro-húngaro. Nasceu no dia 19 de maio de 1905 na aldeia Slobodnica, região de Slavonski Brod, Croácia.  Seus pais, Gabriel e Catarina, nascida Nazaruk, eram naturais da Galícia, Ucrânia.

O Padre Cristóforo Gabriel Myskiw nasceu no dia 19 de maio de 1905 na aldeia Slobodnica, região de Slavonski Brod, Croácia.  Seus pais, Gabriel e Catarina, nascida Nazaruk, eram naturais da Galícia, Ucrânia. Em 1895, migraram para a Croácia em busca de melhores condições de trabalho na agricultura, tendo em vista que tanto a Galícia quanto a Iugoslávia, atual Croácia, pertenciam ao Império Austro-húngaro.

Sentindo-se chamado para a vida sacerdotal, no dia 27 de setembro de 1921, ingressou no noviciado da Ordem dos Padres Basilianos em Mukaciv, Ucrânia Carpática. Após ter concluído o tempo de sua formação ascético-espiritual e estudos teológicos, Cristóforo recebeu o sacramento da Ordem no dia 21 de setembro de 1932, festa da Natividade de Nossa Senhora.

Como sacerdote, o padre Cristóforo iniciou intensa atividade pastoral na Ucrânia Carpática, organizando em diversas localidades o Apostolado da Oração, a Congregação Mariana e movimentos estudantis: Soldados de Cristo e Associação de Estudantes São Valdomiro; integrou-se no movimento escoteiro, junto ao qual exerceu a função de capelão. Em 1938, foi nomeado Capelão-mor da “Sitch Carpática” e coordenou importantes manifestações religiosas. Igualmente, teve participação na luta contra o regime austro-húngaro que dominava a região da Ucrânia Carpática. Em decorrência dessas atividades sofreu muitas perseguições.

Em setembro de 1939, o padre Cristóforo veio para o Brasil, onde realizou intenso e fecundo trabalho pastoral, sobretudo na paróquia de S. Josafat, em Prudentópolis. Ali ele organizou grupos de Apostolado da Oração, de Orações pela Ucrânia, Congregações Marianas, pregou missões e retiros para jovens, organizou cursos de formação de catequistas. Foi professor no Seminário São José e colaborador na redação do jornal “Prácia” e principalmente do periódico mensal “O Misssionário Ucraniano no Brasil”.     Seu trabalho missionário não se limitava a Prudentópolis. Fazia frequentes viagens para localidades do norte do Paraná, onde prestava assistência espiritual aos fieis da Igreja greco-católica ucraniana.

Foi superior e professor de Filosofia para os estudantes basilianos em Ivaí e Curitiba; por longos anos desempenhou a função de procurador e ecônomo da Ordem Basiliana no Brasil. Trabalhou na Argentina e no Paraguai. Pe. Cristóforo foi um incansável missionário, o objetivo de sua vida foi servir a Deus e à Igreja e por intermédio dela servir aos seus irmãos em Cristo. Foi fervoroso devoto e, ao mesmo tempo, propagador do misericordioso Sagrado Coração de Jesus.  

No período em que no Brasil as etnias que colonizaram o sul do país foram proibidas de exercer suas práticas devocionais, suas tradições religiosas e culturais na língua de seus pais e avós, em 1940, o padre Cristóforo fundou o Instituto Secular das Catequistas do Sagrado Coração de Jesus. Os membros desse Instituto eram enviados às comunidades eclesiais onde discretamente realizavam seu trabalho de evangelização e magistério. A fundação do Instituto é fruto da piedosa devoção do padre Cristóforo ao Sagrado Coração de Jesus e da difusão do amor misericordioso de Cristo.

Os últimos anos de sua vida, padre Cristóforo, já doente, passou recolhido no mosteiro dos Padres Basilianos, em Prudentópolis. Passava seu tempo em oração e sofria com abnegação a sua enfermidade, as suas limitações.  Deus o levou para a sua glória e recompensa pela dedicada e virtuosa vida e trabalho em favor do reino no dia 7 de junho de 1973.  Está sepultado no cemitério paroquial São Josafat, em Prudentópolis.

Oração

Deus, Pai de amor e misericórdia, chamastes o vosso humilde e fiel servo padre Cristóforo para continuar a vossa obra na condução do rebanho de Cristo a caminho do Reino. Ele, como sacerdote, foi incansável missionário e, a exemplo de Jesus, acolhia, aconselhava, abençoava, procurando conduzir todas as pessoas ao encontro do vosso Filho, Jesus Cristo Eucarístico. Atendei-nos, ó Pai de bondade, e ajudai-nos seguir a Cristo e, a exemplo do padre Cristóforo, ser testemunhas do Vosso amor entre nossos irmãos e irmãs. Concedei-nos, por sua intercessão, a graça que suplicamos (fazer o pedido), esperando que ele seja elevado à glória dos altares. Amém.